SEJA BEM VINDO




Pesquisar este blog

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Ex-Flu marca, mas River Plate perde para antigo carrasco na volta à elite


Lanzini tem atuação acima da média na derrota para o Belgrano, por 2 a 1, 
de novo no Monumental. Jogo termina com pênalti perdido e muita polêmica


Por GLOBOESPORTE.COMBuenos Aires
O clima era bem diferente daquele 26 de junho de 2011. Não estava em jogo o rebaixamento do River Plate - o que acabou se consumando após os 90 minutos. Era justamente o retorno do maior vencedor do Campeonato Argentino à elite nacional. Só que o Belgrano tratou de se tornar o carrasco oficial e, novamente, calou um Monumental de Nuñez lotado de esperanças com a nova temporada. Se na época um empate foi o suficiente, dessa vez a equipe de Córdoba venceu com autoridade e muita polêmica: 2 a 1, neste domingo, pela 1ª rodada do Torneio Inicial. Melano e Carranza, de cobertura, marcaram para os visitantes, enquanto o ex-Fluminense Lanzini descontou.
Jogadores do Belgrano comemoram gol contra o River Plate (Foto: AP)Jogadores do Belgrano comemoram gol contra o River Plate no Monumental (Foto: AP)
O time do River que entrou em campo era muito diferente em relação ao que causou revolta há pouco mais de um ano. Contava, por exemplo, com o centroavante francês David Trezeguet, herói da campanha na Segundona; e com o meia Manuel Lanzini, autor dos melhores lances dos Milionários, como uma bola no travessão e uma bicicleta defendida. Mas também tinha a promessa Funes Mori, responsável por perder o pênalti que levaria ao empate nos minutos finais - outra coincidência com a partida daquele 26 de junho.
O lance, já aos 42 minutos do segundo tempo, gerou a expulsão do goleiro Olave, que teria comemorado com exagero o chute por cima da meta. Pouco antes, ele havia se machucado ao se chocar com Aguirre na grande área, quando o árbitro Germán Delfino assinalou a penalidade. No fim, porém, o Belgrano conseguiu manter o resultado graças aos gols de Melano e Carranza e iniciou o campeonato com vitória.
Os torcedores do River Plate ao menos têm um alento. No sábado, o arquirrival Boca Juniors também estreou com derrota: 3 a 0 para o Quilmes, fora de casa, no primeiro jogo oficial sem o craque Juan Román Riquelme. A partida teve ainda o uruguaio Santiago "El Tanque" Silva expulso por uma agressão.
Manuel Lanzini River Plate Belgrano (Foto: Reuters)Lanzini, ex-Flu, tenta levar River ao ataque: meia foi o melhor dos donos da casa (Foto: Reuters)
River acerta as traves; Belgrano as redes
Pode-se dizer que foi no detalhe dos centímetros - ou do vento, um dos protagonistas do fim de semana nos Jogos Olímpicos de Londres. Fato é que por muito pouco o River Plate não fez a festa na sua volta à Primeira Divisão. Aos 39 minutos do primeiro tempo, Trezeguet disparou em contra-ataque e deixou Funes Mori em boas condições. O atacante de 21 anos fuzilou da entrada da área e carimbou o travessão.
Se não era melhor em campo, o time da casa inspirava confiança em sua torcida, que encheu o Monumental e fez bonita festa. Ao menos até sofrer o primeiro gol, aos 44 minutos, quando Vega não cortou cruzamento da direita por centímetros em clara falha, deixando a bola limpa para Melano abrir o placar.
Gabriel Mercado do River Plate e Juan Quiroga (Foto: Reuters)Gabriel Mercado, do River Plate, e Juan Quiroga, do
Belgrano: gosto amargo na volta à elite (Reuters)
Os visitantes ampliaram logo no primeiro minuto da etapa final. Carranza foi lançado e, de cobertura, deu um toque de classe à partida. Do outro lado, Lanzini foi quem mais arriscou na tentativa de uma reação. Em um cruzamento, aos 28, o ex-jogador do Fluminense acertou o travessão. Poderia ter entrado, como em sua bicicleta nos instantes finais de jogo.
O roteiro, porém, estava escrito em favor do Belgrano. E nem mesmo a marcação de um pênalti duvidoso para o River Plate atrapalhou. Aos 42, Olave se chocou com Aguirre dentro da área e o árbitro Germán Delfino assinalou a infração. Em atendimento, o goleiro demorou para perceber e se revoltou quando descobriu a marcação. Após o chute para fora de Funes Mori, ele teria celebrado de maneira efusiva e acabou expulso.
Campeonato passa por reformulação
O Campeonato Argentino da temporada 2012/2013 começou com novidades. Quem ganhar o Torneio Inicial (renomeado de Torneio Eva Perón, em homenagem aos 60 anos da morte da antiga primeira-dama) enfrentará o campeão do Torneio Final (ou Copa Eva Capitana, uma versão feminina da marcha "Los muchachos peronistas") em jogo único, numa grande decisão após os dois turnos.
Há ainda outra importante mudança: o fim da Promoción - aquele confronto entre o antepenúltimo da Primeira e o terceiro da Segunda. Para desespero dos avessos à matemática, porém, o sistema de promedio segue intacto, com a leve diferença de que serão três rebaixados diretos. E o que é o sistema de promedio? É a soma de todos os pontos das últimas três temporadas dividida pelo número de jogos que a respectiva equipe realizou nestes campeonatos. A média determinará a briga contra o descenso.
Confira a 1ª rodada completa:
Sexta-feira
Vélez 3 x 0 Argentinos Juniors
Arsenal 1 x 0 Unión
Sábado
Racing 1 x 1 Atlético Rafaela
Quilmes 3 x 0 Boca Juniors
Colón 1 x 0 Lanús
Newell's Old Boys 0 x 0 Independiente
Domingo
Godoy Cruz 1 x 1 All Boys
San Lorenzo 2 x 1 San Martín
River Plate 1 x 2 Belgrano
Segunda-feira
Tigre x Estudiantes

Nenhum comentário:

Postar um comentário